Unlimited Plugins, WordPress themes, videos & courses! Unlimited asset downloads! From $16.50/m
Advertisement
  1. Code
  2. WordPress

Desenvolvendo Plugins para Sua Framework para Temas de WordPress

by
Difficulty:IntermediateLength:ShortLanguages:
This post is part of a series called How Theme Frameworks Actually Work.
Creating Child Themes for Your WordPress Theme Framework
Releasing your WordPress Theme Framework

Portuguese (Português) translation by Erick Patrick (you can also view the original English article)

No artigo anterior, exploramos os meios que podemos usar temas filhos para criar sites usando sua framework. Nesse tutorial, veremos as várias ocasiões em que você, talvez, queira criar plugins.

Decidindo Quando Criar Um Plugin

Às vezes, pode ser difícil decidir se se deve usar um plugin ou o arquivo functions.php do seu tema filho quando se quer adicionar funcionalidade a um site usando sua framework.

Ao tentar decidir o que fazer, sempre me pergunto algumas coisas, como documentado nesse infográfico:

Isso ajudará você a decidir se deve usar o arquivo de funções do tema filho ou pai, um plugin ou seu tema filho inicial.

Se a funcionalidade requiser a adição de muito código e é útil para outras pessoas, ou será usados em outros sites que você criará, mesmo que não em todos, criar um plugin, geralmente, é uma boa ideia.

Criando Seus Plugins

Se você decidiu criar um plugin, então você precisa lançar mão dos ganchos que você adicionou à sua framework para torná-los ainda mais poderosos. Por exemplo:

  • Se seu plugin adiciona uma funcionalidade de rastro migalha de pão (breadcumbs), você pode anexá-lo ao gancho de ação wptp_above_content para mostrar o rastro migalha de pão acima do conteúdo de cada página.
  • Se seu plugin criar um campo de busca mais poderoso ou relevante, você pode adicioná-lo aos ganchos de ação wptp_in_header ou wptp_sidebar.
  • Um plugin que cria uma caixa de ação (semelhante à função do tutorial passado sobre temas filhos) poderia ser anexado aos ganchos wptp_sidebar ou wptp_after_content.

E a lista continua!

Obviamente, também existirá plugins que não usarão os ganchos da sua framework, mas, ao invés disso, ativará ganchos do core do WordPress. Porém, ter seus próprios ganchos dão opções extras.

Exemplo de Plugin de Navegação

Um exemplo é o plugin de navegação que criei para usar com minha própria framework. Ele só é ativado em Páginas e, primeiramente, checa onde a página atual está na hierarquia. Se a Página tem filhos ou Páginas pais, ele mostra a Página raiz da hierarquia juntamente de uma lista com suas páginas filhas, dando-lhe uma navegação local.

Usei esse plugin em sites de clientes e o anexei ao gancho before_content ou ao gancho da sidebar, algumas vezes em ambos, com tags condicionais extras.

O plugin usa duas funções: a primeira, wptp_check_for_page_tree(), localiza onde a página fica na árvore de páginas:

A outra função, wptp_list_subpages(), verifica se estamos em uma página que não a página inicial, e executa a função wptp_check_for_page_tree(). Baseado no resultado dessa função, mostra a lista de página:

Tendo instalado e ativado o plugin, você terá de ativá-lo no seu tema filho, através da adição do seguinte trecho de código ao arquivo functions.php:

Claro, você poderia usar um gancho de ação diferente se quisesse mostrar a lista em outro lugar.

Conclusão

Plugins são outra parte do ecossistema que você cria como parte da sua framework. Você pode criar plugins que são projetados, especificamente, para serem ativados a partir dos ganchos que você adicionou à sua framework, como mostrei mais acima.

Contudo, é interessante passar um tempo verificando se é, realmente, necessário criar um plugin: se estiver em dúvida, dê uma olhada no infográfico desse artigo. Ele ajudará você a se decidir.

Seja o primeiro a saber sobre novas traduções–siga @tutsplus_pt no Twitter!

Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Looking for something to help kick start your next project?
Envato Market has a range of items for sale to help get you started.